Arquivo para Energia

Chakras

Posted in chakras, Mantra, SwáSthya Yôga with tags , , , , , , on 22/04/2009 by Evelyne Baldan

Chakras são centros de captação, armazenamento e distribuição do prána, a energia vital. Chamam-se de rodas ou círculos por ser vórtices de energia – e, como tal, circulares – localizados nas confluências e bifurcações das nádís, que são os canais por onde a energia circula no nosso corpo.

Existem chakras principais e chakras secundários. Os chakras básicos dão origem a todos os demais chakras, denominados secundários, através da rede de vascularização pránica, que são as nádís. Os chakras principais são representados esquematicamente por desenhos de lótus vistos de cima, com um número variável de pétalas abertas. Essas pétalas são representações simbólicas do número de nádís primárias que partem de cada respectivo chakra para distribuir sua energia por outros chakras e por todo o corpo. Veja abaixo as ilustrações:

SwáSthya Yôga ájña chakra 1

SwáSthya Yôga vishuddha chakra

SwáSthya Yôga anahata chakra

SwáSthya Yôga manipura chakra

SwáSthya Yôga swádhisthána chakra

SwáSthya Yôga múládhára chakra

A prática completa do SwáSthya Yôga (ashtánga sádhana) produz um efeito concreto de desenvolvimento dos chakras se for feita com disciplina e constância. Vale a pena estudar mais sobre este tema. Para isso, leia o livro Chakras, kundaliní e poderes paranormais, do Mestre DeRose, de onde retirei as informações para este post. 

 

Pránáyáma – a respiração no Yôga

Posted in Pránáyáma, SwáSthya Yôga with tags , , , , on 19/04/2009 by Evelyne Baldan

respiracao_yoga

 

” Pránáyáma  Prána, a energia vital 

penetra nosso corpo  

pelos labirintos respiratórios. 

Leva a bênção da vida até o nosso peito 

e, dele, para todo o nosso ser,  

físico e sutil. 

 

Prána, a energia biológica 

sem a qual nenhuma forma de vida 

animal ou vegetal seria possível. 

 

Prána, que traz a cura  

e a regeneração celular. 

Para viver, todos os seres precisam respirar. 

Respirando, incrementamos vitalidade,  

revitalização, reconstituição dos tecidos,  

insuflando-lhes a própria vida. 

 

Controlando os ritmos respiratórios,  

dominamos nossas emoções e ações. 

Alterando os níveis de profundidade da 

respiração, conquistamos novos estados de 

consciência. Interferindo voluntariamente 

no ato respiratório, cruzamos a fronteira 

entre o consciente e o inconsciente. 

 

Isso é pránáyáma! ”

 

DeRose