Arquivo para ásana

Coreografia de SwáSthya Yôga – Instrª Virgínia Barbosa

Posted in Coreografias, SwáSthya Yôga with tags , , , , on 13/05/2009 by Evelyne Baldan

Mais uma coreografia que eu gosto muito, da Vivi.

Leia também o post A beleza das coreografias, que exemplifiquei com a coreografia da Instrª Ana Fior.

Devo agradecer ao Instrutor Tiago Demeneck por ter me ensinado ontem a colocar os videos do YouTube no blog… =)

SwáSthya: o Yôga mais completo do mundo.

Posted in SwáSthya Yôga with tags , on 16/01/2009 by Evelyne Baldan

A prática do SwáSthya Yôga é extremamente rica, prazerosa e avançada. Um dos motivos pelos quais o método é considerado de Yôga Avançado é o fato de utilizarmos um grande número de técnicas adiantadas, bem como lançar mão de várias delas ao mesmo tempo durante a prática.

Instrutor Alexandre Meireles

Um bom exemplo disso é a nossa forma de execução dos ásanas (técnicas corporais do Yôga). Além da posição estável, confortável e estética, colocamos muita concentração na respiração e na atitude interior.  A respiração durante o ásana (e durante toda a prática) deve ser consciente, profunda e ritmada. Mesmo depois de tantos detalhes, para que a prática tenha realmente efeitos mais profundos, é imprescindível que o praticante valorize sua atitude interior, que consiste em localizar a consciência na parte do corpo que chama a atenção durante o ásana; consiste também em mentalizações e bháva.

Sobre mentalizações eu li um texto muito bom no site do meu amigo e colega de trabalho Marco Carvalho. Cique aqui e confira a explicação que ele deu sobre esse tema.

Por último, porém o mais importante, vem o bháva. DeRose, o codificador do SwáSthya Yôga explica em seu livro SwáSthya Yôga Shástra: “Bháva significa sentimento, conduta, amor, inclinação da mente. É a reverência ou sentimento profundo, intenso, que potencializa e dinamiza a força da técnica. Sem bháva, o pújá não é pújá, o mantra não é mantra, e assim por diante: o Yôga não é Yôga.”

Ainda podemos acrescentar aos ásanas os bandhas (contrações ou compressões de plexos e glândulas), mudrás (gestos feitos com as mãos), etc. É ao aprender como combinar esta infinidade de técnicas que o praticante conquista efeitos cada vez mais intensos.

No quadro abaixo coloquei um resumo das características do ásana, que foram mencionadas anteriormente.

caracteristicas do ásana