Sarau

Posted in SwáSthya Yôga on 04/03/2011 by Evelyne Baldan

Campanha de Férias

Posted in SwáSthya Yôga on 18/11/2010 by Evelyne Baldan

Para quem está interessado em iniciar as práticas do Método DeRose as Unidades de Curitiba estão com uma campanha muito legal!

Formatura dos novos Instrutores

Posted in DeRose, Eventos, Práticas, SwáSthya Yôga no parque on 20/10/2010 by Evelyne Baldan

Qualidade de vida é tema principal do Curso de Introdução ao Método DeRose

Posted in SwáSthya Yôga on 17/05/2010 by Evelyne Baldan

Praticado em vários locais do Brasil e do mundo, o Método DeRose tem como objetivos básicos proporcionar qualidade de vida e autoconhecimento aos seus praticantes. E para demonstrar todas as funcionalidades do método, o Professor Rogério Brant ministra no próximo dia 22 (sábado), a partir das 17h o curso “Introdução ao Método DeRose”. O evento, que tem caráter beneficente será realizado na Unidade Alto da XV, em Curitiba. Para participar basta levar roupas em bom estado que serão doadas à Campanha do Agasalho 2010.

Além de apresentar origens e metodologia, o ministrante vai explicar também como o Método DeRose auxilia na redução do estresse, no gerenciamento do tempo, no aprimoramento da descontração emocional e na obtenção de mais energia para uma vida saudável.

Há 10 anos trabalhando exclusivamente com o Método DeRose, o instrutor Rogério Brant realizou especialização em ásanas (técnicas orgânicas), em Portugal. É responsável também por ministrar cursos e palestras nos principais Festivais Internacionais (De Rose Festival), como os de Saquarema (RJ), Florianópolis (SC), Campos do Jordão (SP) e Lisboa, em Portugal.

MAIS QUALIDADE DE VIDA

Segundo Brant, mais do uma prática física, o Método DeRose pode ser considerado uma filosofia de vida. “A prática do Método DeRose é mais do que uma série de exercícios, é uma atitude. Não é apenas realizar alguns minutos de práticas respiratórias, de técnicas corporais. É aprender a se desligar, a esquecer o passado, deixar de lado o futuro e mergulhar em seu intimo, é olhar para dentro”, define.

A influência do Método na vida dos seus praticantes, também é capaz de trazer uma série de benefícios, conforme exemplifica Brant. “É extrair do âmago do ser a verdadeira essência. Respirar melhor, boa postura do corpo, alimentar-se de forma saudável, descontrair, tudo isso é parte do Método.Mas ele é mais, é viver bem; é energia. É aprender a ser você mesmo. É consciência, hiper-consciência. Só assim podemos aproveitar o instante presente, focar nossos esforços naquilo que realmente desejamos e viver de forma plena”, concluiu.

MÉTODO DEROSE

O Método DeRose possui uma grande variedade de técnicas que contribuem para trazer melhorias na qualidade de vida dos seus praticantes.  Garante ainda, uma significativa flexibilidade articular e muscular, obtidas mediante a eliminação de tensões localizadas, bem como a conscientização corporal e respiratória.

Tudo isso é obtido por meio de técnicas respiratórias, corporais, de descontração e de concentração.

Dentre as técnicas utilizadas, destaque para as que seguem abaixo:

Pránáyáma: exercícios respiratórios para a oxigenação cerebral e aumento da capacidade pulmonar;

Ásana: técnicas corporais que revigoram e aumentam a energia do praticante, promovendo força, flexibilidade e disposição;

Yoganidrá: técnica de descontração e revitalização orgânica, que tem o poder de implodir o estresse;

Samyama:  exercícios de concentração e meditação, reforçando a habilidade de foco.

CURSO DE INTRODUÇÃO AO MÉTODO DEROSE

DIA E HORÁRIO: 22 DE MAIO DE 2010, ÀS  17H

DURAÇÃO: 2 HORAS

LOCAL: UNIDADE ALTO DA XV- RUA ITUPAVA, 601 – CURITIBA (PR).

ENTRADA: UM AGASALHO, QUE SERÁ DOADO PARA A CAMPANHA DO AGASALHO 2010.

INFORMAÇÕES: (41) 3264-6495


Afinal, o que é a meditação?!

Posted in Meditação with tags , , , , on 03/02/2010 by Evelyne Baldan

Artigo enviado pelo Instrutor Driano Marsili:

Dhyána é uma técnica ancestral utilizada no Método DeRose para que a consciência se expresse através de um canal mais sutil, que está acima da mente, o intuicional. Essa técnica é bastante conhecida como meditação, embora esse termo não seja exato. O dicionário define meditar como pensar, refletir sobre algo. Mas para fazer com que a consciência flua pelo veículo intuicional é preciso neutralizar o organismo mental, ou seja, parar de pensar. Praticamente o mundo todo, inclusive a Índia, chama de meditação (pensar, refletir) a técnica que consiste em parar de pensar!

Esse estado de consciência (dhyána) é, na verdade, um tipo de intuição. A intuição é como um flash de uma câmera fotográfica que ocorre em uma fração de segundos. Mas com a prática constante e diligente é possivel desenvolver uma outra forma de intuição que se manifesta como o flash de uma filmadora, que se acende e permanece aceso por um tempo maior. Dessa forma consegue-se manter a consciência fluindo voluntariamente por mais tempo.

Essa definição perfeita para o termo sânscrito dhyána é denominada intuição linear. Porém, não a utilizamos, já que ninguém (exceto você!) saberia a que queriamos nos referir. Portanto, vamos utilizar o termo meditação, que embora inexato, é aceito universalmente.

Mas por que precisamos parar de pensar para meditar?

No nosso estudo do fenômeno de consciência expandida, precisamos compreender que o ser humano é constituído por uma série de veículos ou corpos, com diferentes coeficientes de densidade. São eles: corpo físico, corpo emocional, corpo mental, corpo intuicional e outros.

No universo, sempre o mais denso eclipsa o mais sutil. Por exemplo, se olharmos para o céu durante o dia, não veremos as estrelas embora elas estejam lá. Isso porque a luz do sol (mais intensa) eclipsa a luz das estrelas (mais sutil).

Da mesma forma que ocorre com as estrelas e o sol, o corpo físico, por ser mais denso que o emocional, tende a eclipsar as emoções. Por exemplo, a prática de esportes onde o corpo físico solicita a atenção da consciência não é o momento ideal para desfrutar de um romance, uma atitude emocional. Se a consciência estiver fluindo pelo canal físico a manifestação das emoções fica comprometida. Da mesma forma que o corpo físico (mais denso) eclipsa o emocional (mais sutil), o emocional que é mais denso que o mental, eclipsa a mente. Tente por exemplo estudar quando estiver emocionado por paixão ou por ciúmes. Provavelmente não renderá muito naquela atividade intelectual, pois não há lucidez mental quando se está emocionado. E assim ocorre com o corpo mental (mais denso) eclipsando o intuicional (mais sutil), onde se processa a verdadeira meditação. Noutras palavras, se a mente não parar de pensar, a intuição não fluirá e a meditação não ocorrerá.

Na prática da meditação o que queremos é desligar os circuitos mais densos (físico, emocional, mental) e deixar a consciência fluir por um canal mais sutil, mais profundo, o intuicional. Quando aquietamos os canais mais densos e permanecemos sem bombear registros de fora pra dentro conseguimos inverter o fluxo da percepção e fazer aflorar o que está em nosso interior. É ai que ocorre o autoconhecimento!

Driano Marsili

Instrutor do Método DeRose

driano@metododerose.org

DeRose

Posted in SwáSthya Yôga with tags , on 09/11/2009 by Evelyne Baldan

DeRose é Doutor Honoris Causa, Comendador e Notório Saber por várias entidades culturais e humanitárias, Conselheiro da Ordem dos Parlamentares do Brasil, Conselheiro da Academia Brasileira de Arte, Cultura e História, e Conselheiro da Academia Latino-Americana de Arte. Tem quase 50 anos na profissão de educador e 24 anos de viagens à Índia, freqüentando durante essas estadas no país inúmeras escolas, mosteiros e outras entidades culturais, nas quais buscou aprimorar seu conhecimento da Filosofia Hindu.

Nestes quase 50 anos de trabalho, DeRose escreveu mais de 20 livros que vão desde filosofia, comportamento até gastronomia e codificou o Método DeRose, uma urdidura de conceitos e técnicas que visam a um aprimoramento integral do praticante.

Método DeRose urdidura

Para saber mais sobre a trajetória de DeRose acesse:

Uni-Yôga.org

www.yoga-go.com.br

yogaaltodaxv.org.br/blog

www.casadoyoga.com.br

www.universoyoga.org.br

www.yogajardimanaliafranco.com.br

DeRose - Quando é preciso ser forteLeia também o livro Quando é preciso ser forte, que relata boa parte de sua trajetória. Disponível nas Unidades Credenciadas.

Vocabulário de Mestre

Posted in SwáSthya Yôga with tags on 09/11/2009 by Evelyne Baldan

LetrasO Instrutor Felipe Lengert, meu amigo e colega de trabalho na Unidade Alto da XV, mantém um blog muito bem escrito. Hoje, ao ler um de seus posts, fiquei muito contente e resolvi compartilhar com quem visita o meu blog.

O post “Vocabulário de Mestre” é um pequeno glossário que traz palavras sofisticadas utilizadas por DeRose em seus textos. Excelente! Confira lá.

O Método DeRose é uma cultura e um dos fatores que nos impulsiona a estudar, pesquisar e a nos aprimorarmos na linguagem cada vez mais é o estilo refinado de escrever que tem este grande educador. Quem conhece seus textos sabe que este refinamento não compromete sua didática e clareza.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.